O Busílis

bu·sí·lis 
(origem duvidosa)

substantivo masculino 

Parte mais importantemais central ou mais difícil de algo.

CERNEDIFICULDADE

 As touradas e a Venezuela são duas discussões  que me têm ocupado algum tempo, não parece à primeira vista mas são discussões com coisas em comum, nomeadamente o problema de não se ir  ao cerne, ao fundamental , ao busílis da questão.

Quanto às touradas, partilhei uma peça sobre touros de fogo , uma prática milenar no país vizinho que consiste em pegar fogo aos cornos de um touro e largá-lo a correr pelas ruas. Como é à noite o efeito visual é mais forte, e faz sempre parte de alguma festa em honra de um santinho qualquer. Deve vir lá nos escritos ancestrais do cristianismo que não só o Homem deve dominar as outras espécies como está autorizado a atormentá-las à vontade. Um dos santos , um italiano chamado Francisco , era muito amigo dos animais e consta que andava por todo a lado a dizer que éramos todos criaturas de Deus e devíamos ter compaixão mas ainda há muito católico que não lhe passa cartucho. Tem uma ordem em seu nome e  o actual líder mundial dos católicos adoptou o seu nome mas em religião a  coerência dos fiéis é uma coisa um pouco rara. As mesmas pessoas que vão a uma missinha no Domingo de manhã à tarde são capazes de ralhar  contra os pretos e os gays e os refugiados e à noite vão ver touros a correr com os cornos a arder.

O Papa Francisco disse num tweet (e num encíclica, calculo) : É contrário à dignidade humana fazer animais sofrer ou morrer desnecessariamente”. Sucede que os católicos são especialistas em escolher as partes que lhes interessam e descartar as que não lhes agradam ou não lhes dão jeito. Se houvesse moral nisto e se essa gente tivesse integridade na Fé ouvia o que diz o Papa e bania imediatamente touradas e outras brincadeiras que consistem em atazanar animais para diversão, e falo no Papa porque por alguma razão todos os países onde há “tauromaquia” são católicos e aposto o que quiserem que a esmagadora maioria dos aficionados se define como católico.

A verdade que eu vejo é esta : qualquer espectáculo tauromáquico consiste em atazanar o touro para lhe provocar comportamentos que divertem as pessoas . Já pedi várias vezes a pessoas que gostam de touradas que me digam se estou errado, que me corrijam , que me iluminem, mas até hoje ainda não ouvi nem li nem vi  ninguém honesto que possa negar isto.Os argumentos em defesa da tauromaquia são sempre os mesmos:

-É uma tradição cultural milenar

-Há muitas pessoas que gostam

-Envolve muito dinheiro

– É para isso que se criam touros bravos

Dão-me estes argumentos e esperam que por isso se continue a tolerar e promover o que são sem sombra  de dúvida  maus tratos a animais como espectáculo. A escravatura, o tráfico de droga,a prostituição infantil, a caça a espécies protegidas e até a guerra pode ser defendida com os 3 primeiros argumentos, quanto ao último, desculpem lá mas entre criar uma raça só para a atormentar e não a criar…a escolha não me parece complicada.

Na Idade Média  e até ao início do século XIX, atiçavam-se cães a touros e ursos e a populaça aplaudia. Há uma  noção fantástica , negada pela Igreja até lhe ser possível, que é a Evolução, e a Evolução não é só um conceito biológico, é também social e cultural. Começou a olhar-se de modo diferente para os cães e hoje em dia em qualquer país civilizado se alguém quiser  promover uma luta de cães ou de cães contra touros vai  preso. Para os touros ainda se olha como em 1600, bestas bravas que devem e podem ser “lidadas” e enfernizadas para diversão.

Ainda espero ver  e ouvir um aficionado a admitir honestamente : é verdade, os touros sofrem e são afligidos, é essa aflição do touro que provoca o espectáculo, e eu não me importo com isso, não me importo e até gosto de ver um touro a ser atazanado e a reagir. É esse o busílis da questão, admitam.

 

O outro tema é a Venezuela e o caos que lá grassa. Ouço e leio muitos argumentos , dizem-me que dantes era  pior, nos governos da oligarquia. Para os comunistas e pessoas que são comunistas mas têm uma certa vergonha de se designarem como tal apesar de não apresentarem designação alternativa (tipo o Sousa Santos), a minha questão  é esta, e bem simples  : Se Chavez foi eleito em 1999, se o chavismo governa a Venezuela há 18 anos, como é que a responsabilidade da situação é da oposição ou do estrangeiro?

18 anos de poder , incluindo uma nova constituição que foi saudada como triunfo do socialismo, e o que há  para  mostrar é isto? Os nossos socialistas mandam há dois, aceito sem problemas que muitos dos falhanços e fracassos se devam ao que vem de trás, mas 18 anos? Mas estão a brincar com isto? Se 18 anos de poder quase absoluto não chega para criar alguma coisa que se veja, se em 18 anos 75% das pessoas estão contra o governo e um maço de notas não compra um pão, quando há pão, a culpa é dos outros? Quanto tempo é preciso a um projecto socialista para se impor e resultar? 30 anos? 40?

E a oposição, e aqui é que está o busílis desta questão, a oposição tem direito a existir ou não? É que na Venezuela, ainda no tempo do Chavez, fechavam-se jornais e TVs que fossem do contra, metiam-se políticos na cadeia e correligionários nas empresas, censuravam-se as notícias, desfavoreciam-se oponentes políticos, cerceavam-se liberdades e , tal como hoje, perseguia-se , insultava-se e prendia-se a oposição. Queria ouvir de uma vez por todas um comunista, bolivarianista ou parecido a admitir que a oposição não se pode permitir, porque é isso que é evidente: não se dá espaço, não se dá voz , não se admite que haja quem seja contra.

Dos portugueses adeptos deste marxismo tropical que deixou a Venezuela como está, só se ouve que a oposição e os protestos são  manipulados (gostava de saber como é que se manipulam 75% da população de um país para ser contra um governo benevolente e competente mas essa parte já não explicam)  e chamam democracia a um regime que não tolera oposição. Esse é que é o busílis.

Tal como no caso das touradas, gostava de ver um comunista ter a coragem de admitir o cerne na questão:  não se pode dar espaço nem representação nem poder a quem é contra o governo, só pode haver um partido .

É uma tristeza e uma vergonha.

Anúncios

Se não há registo,não aconteceu

Não sou muito activo no twitter,não me dou com  a cadência um bocado frenética da coisa e com a limitação dos 140 caracteres. É bom para acompanhar acontecimentos em directo e é bom para ir conhecendo as opiniões de pessoas que nos interessam, ou por reconhecermos que são informadas e  inteligentes ou porque têm piada.

Sigo o Daniel Oliveira, e não é por lhe achar graça ,  e ontem retweetei o seu artigo sobre a actualidade brasileira, intitulado “Cuidado com Bolsonaro”, com o mesmo comentário que fiz aqui no blog : “Avisa uma pessoa que saudou a ascensão de Chavez”.

O Daniel Oliveira respondeu-me:
1

2

Tendo em conta que já passou um dia e não há resposta , não me considero nem corrigido nem repreendido . Não somos apenas responsáveis pelas nossas opiniões publicadas, mas também pelas opiniões expressas, que não têm prazo de validade nem dependem da audiência, e se por acaso expiraram só temos que o admitir. Não tenho memória  de ouvir ou ler o Daniel Oliveira a regozijar-se pela ascensão do Chavez mas tenho bem clara a reacção do Bloco, que foi de apoio, esperança e confiança. Além de fundador do partido foi assessor de imprensa de 2002 a 2005 ( Chavez chegou ao poder em 99) pelo que é legítimo ligar as opiniões dele às do Bloco na altura e acreditar que eram partilhadas.

Claro que tudo isto interessa muito pouco, e isto não é sarcasmo , mas se gostamos destes debates mantemos o nosso próprio marcador, e marquei  esta espécie de conversa como um pontinho. De qualquer maneira é importante ir falando na Venezuela, país onde já foram assassinados mais portugueses desde 2006 do que morreram em atentados terroristas desde sempre e onde milhares foram lançados na miséria e vivem em terror,  mas o drama é , hoje, Manchester. Outra muito elucidativa sobre a Venezuela contemporânea: O país tem 2000 generais. Os Estados Unidos têm 900. Tenho link para essa informação, se alguém precisar.

O Manifesto e a Venezuela

Entre outras coisas estou a ler o Manifesto do Partido Comunista, sobretudo porque faz parte da enorme lista de obras do domínio público que organizações capitalistas como a Amazon , na sua ânsia de controlar o pensamento e a verdade, põem à disposição do público , sem custos . Volta e meia passo uns tempos a peneirar as ofertas de livros electrónicos e tudo o que me desperte vagamente o interesse , embarca.

Estou a ler o Engels mas também tenho em espera o Bastiat , e sempre que pego em autores que para mim são controversos e  criticáveis penso na possibilidade de nesse momento haver num canto do mundo um socialista ou comunista a pensar , bom , identifico-me com o  marxismo, faz todo o sentido para mim mas pelo sim pelo não deixa-me alargar um pouco o horizonte e ver o que diz este  Hayek , por exemplo. Já uma vez propus aqui uma troca de livros , gostava que alguém fizesse o exercício comigo, pessoas de tendências contrárias trocavam dois livros que achassem fundamentais e obrigavam-se a lê-los, criticá-los  e comentá-los depois, acho que  seria interessante , se alguém se encontra em campo oposto ao meu e quer aceitar , tenho livros para a troca e leio qualquer coisa.

O Manifesto dos comunistas , que ainda hoje lhes marca a ortodoxia, começa por explicar em detalhe a evolução e realizações da burguesia , e a cada página eu dava por mim a dizer “é verdade, é extraordinário e ainda bem que foi assim”, já em 1848 era bem aparente a revolução social trazida pela ascensão da burguesia e o fim do feudalismo, e hoje, com a  visão 20/20 que todos temos ao olhar para trás podemos avaliar os benefícios para a Humanidade e a distância percorrida desde então.

Temos , grosso modo, de um lado o Capitalismo e do outro o Socialismo , em versões mais ou menos duras. Desde  o primeiro momento em que o capitalismo foi identificado pelos seus oponentes que da sua descrição faz parte isto : “o capitalismo comporta em si a semente da sua destruição e as suas contradições vão levar inevitavelmente ao seu fim”. Já vamos em 170 anos de decadência do capitalismo , decadência cientificamente observada, diziam , e no entanto no meu tempo de vida não tenho visto nada mais que falhanços ignominiosos e trágicos de sistemas socialistas e a expansão do capitalismo a todo o globo , acompanhada de progresso científico e material sem precedentes. Os resultados não estão  mal para um sistema condenado à nascença e estão  um pouco aquém das expectativas  para o  sistema cientificamente descrito e previsto como o mais indicado , justo e vantajoso,  que ia redimir a Humanidade. Está difícil.

Das coisas que me incomoda mais é ver pessoas a pegar na análise que Engels fez à sociedade no fim do século XIX e nas suas receitas e apelos e achar que são pertinentes hoje. As condições e relações de trabalho em 1840 eram atrozes. Todos devemos muito aos lutadores contra as injustiças , explorações e misérias, que com mobilizações, denúncias, manifestações  e greves lutaram por condições decentes. Como estudante de História nunca posso negar a dívida colectiva que temos para com os socialistas do século XIX .

A questão é :  o que é que fazemos quando  atingimos um objectivo , se esse objectivo é  a nossa razão para viver ? Imaginem um discípulo directo do Engels a dar uma volta pelos subúrbios industriais da Inglaterra no século XIX e a inventariar as condições de vida e trabalho dos operários, ou cinquenta anos mais tarde a passear pelo Alentejo e descrever como viviam os camponeses. Agora peguem nesse mesmo indivíduo , tragam-no para 2017 e ponham-no  por exemplo na Auto Europa a acompanhar um dia de trabalho de um empregado e depois a segui-lo até casa e conhecer a sua família. Estão a ver onde é que eu vou com isto? Os trabalhadores hoje trabalham e  vivem em condições que nem sequer eram sonhadas pelos trabalhistas de há 150 anos , e no entanto o discurso dos comunistas é o mesmo . 

As tácticas e estratégias dos comunistas & derivados hoje em dia são comparáveis às da National Rifle Association ,  a associação dos entusiastas das armas nos EUA : os seus objectivos declarados já foram cumpridos há muito , mas como admiti-lo seria admitir a sua irrelevância e o facto de que já não estão lá a fazer nada de produtivo,o que se faz é criar sempre novas ameaças, inventar inimigos, descobrir  novos alvos , manter os níveis de exaltação da população e um sentimento não só de que as coisas estão muito más como de que eles têm a solução.

Vejamos  a evolução destes  indicadores fundamentais ,  desde 1990 : fome , pobreza , literacia, mortalidade infantil e poluição. Os anos 90 coincidem com o que os anti capitalistas chamam ataque neo liberal , a desregulação e liberalização de mercados e o intensificar da globalização. O que o capitalismo e o liberalismo trouxeram foi isto :

CupothRXEAQA6Io

Haverá sem dúvida quem duvide dos números destas instituições , mas essas pessoas já há muito tempo que deixaram de ler este post (ou este blog) e teriam muita dificuldade em apresentar números alternativos credíveis.

Dadas as mudanças enormes que vemos nas relações sociais e de trabalho, na tecnologia e na comunicação  desde 1870 seria de esperar que os autoproclamados defensores dos trabalhadores tivessem adaptado o seu discurso, os seus objectivos e os seus métodos mas não é isso que vejo. O PCP ainda hoje não crê no valor da propriedade privada, por exemplo , e defende uma economia centralmente planificada, os resultados desses modos de organização estão à vista de todos, tal como os resultados de sistemas que defendem a livre iniciativa. Apesar de todo este progresso visível o  PCP , BE e sectores do PS continuam a apostar no socialismo e a aplaudir quem se reclama socialista , e eu chegado aqui já me convenci de que nada os fará mudar de opinião.

Está nestes dias a terminar na Venezuela a última experiência de socialismo em larga escala, e está a acabar em grande : A economia encolheu 10% no ano passado e chegado o fim deste ano estará 23% mais pequena que em 2013.Este ano a inflação anda pelos 1600% . 3/4 da população venezuelana perdeu peso , numa média de 8,7kg por pessoa devido à escassez de alimentos. Isto sem nenhuma guerra nem catástrofe natural, deve-se exclusivamente à má gestão do país, um país riquíssimo em petróleo e cujos líderes conseguiram desbaratar tudo . Como de costume , seja em países socialistas ou capitalistas , as elites estão bem e recomendam-se.Comecei a escrever este post por causa deste video  que vi há pouco: O presidente da Televisão Venezuelana é encontrado nos Estados Unidos às compras, a apreçar uma TV de 2500$ e é confrontado por um Venezuelano.

 

Não me choca muito o facto de o chefe da televisão estatal de um país em crise profunda levar vida de rico, não me espanta a hipocrisia dos que todos os dias denunciam os EUA e nunca perdem uma oportunidade de lá ir, o que me tira do sério são os pacóvios que engolem e vão continuar a engolir a ideia de que os socialistas (ou bolivarianistas ou o raio) são melhores que os outros e que realmente se importam com as desigualdades e as pessoas e não com a sua própria vidinha e posição, que se quer quanto mais confortável melhor. Acham que  são diferentes, reclamam  superioridade moral por serem socialistas, depois todos os dias se vêm coisas assim, dá um certo asco.

A Venezuela ( onde vive meio milhão de portugueses e luso descendentes, convém lembrar) é a última demonstração prática do falhanço do socialismo mas não o é para todos,  dentro de  pouco tempo vamos passar à fase da negação. Até agora as desculpas apresentadas para a calamidade são clássicas : são sabotadores internos e a oposição traidora ; são os comerciantes a só querer lucros (os imorais) ,  é a queda do preço do petróleo (que desgraçadamente só afectou a Venezuela , azar do caraças) ; é a CIA.

 Assim que for mais evidente ainda que essas coisas não explicam nada e que o problema foi mesmo o sistema orgulhosamente socialista que o Chavez montou e encorajou , aposto o que quiserem que o discurso dos que sempre apoiaram o regime vai mudar e vamos passar a ouvir : aquilo não era socialismo verdadeiro.

Isto é uma lástima porque passam 170 anos desde o Manifesto , já houve tanta morte , revolução , convulsão e sofrimento em nome do socialismo que começa a cansar perceber que afinal ainda não foi desta que vimos o verdadeiro Socialismo em acção. Esqueçam o que ouviram em 1999 e nos anos do petróleo em alta em que o Chavez arrotava postas de pescada, construía bairros sociais todos os dias e criava uma população dependente do Estado: aí era a beleza do Socialismo em marcha .

Agora que chegamos à conclusão sobre a qual  tantos se fartaram de avisar, agora que se vê claramente a  herança do Chavez (que   muitos como eu esperavam logo na sua morte em 2013) , em breve leremos as Raqueis Varelas e os Boaventuras Sousas Santos a explicar-nos que não, o Socialismo foi corrompido e abandonado a dada altura. Deve ter sido mais ou menos pela mesma altura em que se acabou o dinheiro.

O  Maduro é apenas o último da galeria global de autocratas falhados que arruínam países enriquecendo-se,  e ao seu clube de amigos,  e  aos quais nunca vai faltar o coro de estúpidos a justificar,  pondo a culpa noutro lado qualquer. A próxima vez, seja ela onde for, vai ser igual.

Vejo mesmo agora no twitter um deputado do PCP a dizer isto  “os EUA podem armar a burguesia, o governo não pode armar o povo.Tá certo”.  Isto  comentando a decisão do Maduro de comprar (não há comida , atenção) 500 mil espingardas para armar os seus camisas castanhas  boinas vermelhas , acho que é uma conclusão apropriada para este texto.