Vacinas

Aqui há uns meses um amigo ligou-me a saber sobre os requerimentos para ter uma criação de ovelhas formalizada e legalizada. A sua principal preocupação era saber se era obrigatório vacinar as ovelhas. Disse-lhe que nem sequer havia vacinas para ovelhas mas que não é obrigado a nada. A obrigação de fazer tratamentos sanitários às ovelhas vem de não as querer deixar morrer de parasitas, diarreias  ou infecções, porque a homeopatia e toda a gama de “medicinas alternativas”, por estranho que pareça, não funciona em animais, que por serem animais são imunes ao poder de sugestão.

Este amigo é da fornada de pessoal “alternativo” , que  se informa pela internet com o mesmo critério que um gato usa para escolher um sítio para se deitar, que nega a Ciência sem conseguir explicar em que consiste o método científico e que acredita em tudo desde que não venha de fontes tradicionais e verificadas. Uma publicação como a Nature , ou mais especializada ainda, divulga um estudo: é prontamente taxada de mercenária da indústria e porta voz de interesses obscuros. Um maluco numa cave da Califórnia explica  com a ajuda de três fotografias que os incêndios florestais são causados por raios espaciais enviados pelo governo:  há ali qualquer coisa que faz sentido. Fico fora de mim.

Hoje foi uma amiga que tem dois filhos pequenos, e a conversa começou pelas ovelhas.

– O que é que as tuas ovelhas comem?

-Erva , incenso, faia e no inverno um bocadinho de ração

-Que ração é ?

-É a 520, o que leva não sei, mas é industrial.

Passou a explicar-me que encontrou um fornecedor no continente que vende ração biológica . A diferença é grande: é só o dobro do preço fora o transporte.

– É que há cada vez mais pessoas a procurar alimentos biológicos.

Abstive-me de dizer que sim , é verdade que há cada vez mais pessoas com dinheiro que pensam que ganham anos de vida só por comer comida mais cara, também é um debate em que já não entro. Respeito e até  aplaudo as escolhas, especialmente as escolhas dos produtores e vendedores que facturam com rótulos como “sem químicos”, à conta da ignorância de quem interiorizou que “químico” é igual a “nocivo”. E lá voltou a conversa à mesma do outro:

-E as ovelhas são vacinadas?

-Não, não há vacinas para ovelhas, e é pena. Mas tens que lhes dar desparasitantes e às vezes antibióticos.

-Mas és obrigado?

-Se não queres que elas morram, és. Quando estão doentes têm que tomar medicamentos, senão morrem.

Olhei bem para ela a ver se a informação  registava, não me pareceu.

-Tu não vacinas os teus filhos?, perguntei

-Não

Tive um choque verdadeiro e deve-se ter notado na minha cara.

-Mas não os vacinas porquê?

-Estive a pesquisar e ouvi umas coisas…

-Ok, ok, mudamos já de assunto, não quero falar mais nisso.

E assim se fez. Muitas vezes é melhor desistir, sei bem que não ia mudar a opinião dela e que só a iria chatear, quando uma pessoa põe em risco a saúde dos seus filhos porque leu na internet que as vacinas causam autismo (como se o autismo não fosse uma condição que já está presente na fase de gestação) é porque tomou uma decisão e agora nada menos que uma emergência médica a fará reconsiderar. Chegada a emergência médica, vai deixar de lado as dúvidas e críticas à medicina contemporânea e vai exigir que se faça tudo o possível  para que salvem a sua criança.

Não fora o facto de as crianças não terem a culpa de ter pais com pouco discernimento e eu apoiaria a 100% uma resolução que fizesse as pessoas optar : se não acreditam na ciência e medicina moderna, prescindam delas, ponto final.

Há certamente casos de determinadas vacinas que provocaram determinadas reacções adversas em determinadas pessoas. Desta constatação a recusar as vacinas em bloco vai um salto de estupidez muito grande.

Cometi outra vez o erro de entrar numa discussão no facebook sobre civilizações perdidas, tecnologias alienígenas , mistérios e ocultações governamentais.  A dada altura recomendei este artigo, em que oferecem 7 razões pelas quais as pessoas acreditam em teorias da conspiração. Responderam-me, sem ironia,  com este , que explica que o termo “teoria da conspiração” foi inventado pela CIA.  Ainda me estou a rir , isto não tem preço.

Polvos Extraterrestres

Um dos efeitos colaterais da internet é permitir e potenciar a difusão das teorias mais abstruzas e dos raciocínios mais imbecis ao alcance do intelecto humano. Antes da internet só havia duas maneiras de publicitar  teorias como a viagem dos Templários ao Brasil ou a origem extra terrestre das pirâmides: persuadiam-se as pessoas pessoalmente, por meio de discursos e comunicações,  ou arranjava-se maneira de editar um livro por canais que não necessitam de escrutínio dos pares nem validação independente como exige a Ciência.  Nunca me vou esquecer de uma “conferência” da Sociedade Gnóstica a que assisti nas Caldas da Rainha em 1994, pela primeira vez pude apreciar ao vivo uma pessoa a debitar as coisas mais absurdas como quem fala de coisas sérias e provadas, coisas como antigas raças de proto-homens com 6 metros de altura.

Pessoas que conseguiam misturar os extraterrestres com a cabala e os Maias e que acreditam em tudo, desde que não venha de fontes tradicionais e oficiais. Pessoas que recusam o Método Científico sem se darem ao trabalho de ver o que significa e de onde vem e que ignoram voluntariamente que é a base de nossa sociedade e avanço como espécie. Pessoas que dizem que os grandes centros de investigação científica estão cheios de iludidos , trafulhas e vendidos e depois publicam vídeos de um guru brasileiro a explicar com desenhos perante um quadro negro que os extraterrestres estão entre nós, sem oferecer uma única prova. Pessoas que não sabem o que são provas e que são capazes de afirmar que o Homem nunca foi à Lua.

Para todas essas pessoas a internet foi uma bênção. Sem pausarem para reconhecer que a própria internet é fruto do método científico aplicado, usam-na não para pesquisar factos e provas e procurar as conclusões de quem leva décadas de investigação aturada mas sim  para inventar factos e provas e vê-los onde não existem. Dantes era difícil fingir credibilidade, hoje qualquer alucinado faz um site que visualmente é legítimo e sério, e depois dão-lhe nomes como “Centro para a Investigação do Futuro”  e estão prontos a tirar e publicar as conclusões mais absurdas que nada além da imaginação suporta. Há milhares de sites e grupos desses, por exemplo a noção de que a terra é plana é defendida hoje por milhares de pessoas por meio de sites como este, com a aparência de seriedade e credibilidade.  Há milhões de pessoas para as quais uma explicação rápida e “alternativa” é melhor que uma científica, especialmente depois de misturada com agendas políticas, por exemplo , havendo raiva contra as farmacêuticas e o seu foco no lucro é mais natural aceitar tangas tipo “camponês descobriu há anos a cura do cancro mas a indústria esconde-o” . O facto de as petrolíferas não estarem interessadas no fim dos combustíveis fósseis é,  para essas pessoas, prova de uma conspiração malévola e não a consequência lógica e legítima do negócio público  das mesmas. Se acreditarmos que a política mundial é decidida por vinte banqueiros judeus à volta de uma mesa torna-se tudo mais simples, claro e fácil de perceber, dá muito menos trabalho e explica tudo.

Ontem li no facebook que “cientistas concluem que o ADN dos  polvos não é deste mundo”

Já tinha lido sobre a excepcionalidade da biologia dos polvos,mesmo a nível molecular , e  como a “notícia” revelava um estudo publicado na Nature, fui ler. O texto pegava nas observações do estudo  e nas incógnitas que levanta para concluir que os polvos eram extraterrestres.A conversa que se seguiu contém, além de erros ortográficos,  umas curiosidades reveladoras que sublinhei.

Jv-   Quem conclui é a autora do artigo, não são cientistas.

Amigo – Ai ai os centistas, aqueles srs que sao pagos para dizerem o que os seus clientes querem? Esses sao sujos e que hoje em dia raramente dizem o que pensam???

JV- É mais uma questão de formação.Não podemos dizer que tirámos conclusões sobre biologia molecular se não estudámos biologia molecular nem a sabemos explicar. Eu também não a tenho, mas estive a ver o artigo na Nature em que essa autora ( que não tem formação científica) se baseia e refere como fonte. Se me mostrares uma referência que seja a realidades extraterrestres nesse estudo, pago-te um jantar.

A – Boa. Falta pouco para se falar na tv. Esse jantar vai saber bem eheheh

JV-  Não quero saber de TV para nada nem temos que esperar, isto é uma questão muito concreta: onde é que no estudo sobre os polvos que serve de base a esse artigo se refere a possibilidade de origens extraterrestres .

A- Eu nao acredito por causa de estudos nem provas. Eu faço os meus estudos eu faço as minhas provas. Nao existe nenhum estudo concreto que diga que a macrobiotica cura doenças. Exemplo, No meu caso e após muitos anos de estudo e depois de pratica- la, eu conclui de inumeras experiencias comigo e noutras pessoas, que funciona. Nao tomo medicamentos á mais de doze anos. Hoje em dia nao faz sentido estar á espera de estudos para tirar conclusoes… Nao te posso ajudar com algo que nao acredito. Desculpa…
Outro exemplo, a civilazaçao da atlantida estimasse ter 10000 anos segundo as minhas fontes. Esse assunto sempre me fascinou. Para saber mais dela nao vou procurar historiadores. Vou procurar antes num livro de plato que eu acredito ter acesso a informaçao de fora.
Sao formas diferentes de abordar temas.

JV-  Tudo bem, o meu “problema” não é com métodos ou teorias alternativas, é com o modo e a forma de apresentar informação e de se anunciarem “descobertas”, muito concretamente neste caso, no título do artigo, que é falso. Isto não significa que os polvos não sejam extraterrestres, mas os cientistas , até ver, não concluíram isso. No que diz respeito a fazeres os teus próprios estudos e provas,de facto é uma forma diferente de abordar os temas,mas se resulta para ti,força!

A – sim mas estas partilhas no fb para mim sao apenas uma forma de expandirmos ideias diferentes. É logico que existe muito lixo, mas o lixo faz parte da vida. Tenho uma balde em casa com lixo…

Perante  este argumento em defesa da disseminação do lixo  retirei-me da conversa, mas apareceu logo outro alternativo com esta contribuição:

Só um promenor o Platão nem sequer existiu o socrates não escreveu uma unica linha…mas uma coisa é certa pela analise dos mitos da criação vamos pelo menos na 3 humanidade e a história que nos ensinam na escola é no minimo idiota.

Um gajo que a defende a validade dos mitos da criação diz-nos na mesma frase que o que nos ensinam na escola é no mínimo idiota, há que apreciar com calma.

Quanto ao Platão, o meu amigo, que baseava nele todo o seu conhecimento sobre a Atlântida, diz que não sabe se existiu ou não, é para ele um pormenor irrelevante que a  sua explicação sobre a Atlântida se baseie em algo  que nem ele sabe o que é.

Daqui para a frente tenho que tentar separar as opiniões deste meu amigo sobre ciência das suas opiniões em geral, como se costuma fazer com assuntos que podem ser delicados. No futebol, ignoramos facilmente que um amigo seja doente terminal de uma clubite oposta à nossa, mesmo que isso o torne por vezes irritante não o torna um cretino, é uma questão de coração. Na política, ninguém tem problemas, acho , em reconhecer que pessoas que apoiam sistemas ou métodos opostos aos nossos preferidos não são menos inteligentes nem têm menos defesas legítimas dos seus pontos de vista. Na religião convivemos com pessoas de diferentes crenças,ou falta delas, e não as achamos imbecis por acreditarem, ou não.  No que toca à ciência para mim já não há essa tolerância, a partir do momento em que se nega a validade geral  da ciência moderna mostra-se uma limitação intelectual muito grande.

Que se critique a ciência, faz parte. Que se questionem conclusões e aplicações, é necessário. Que se proponham novas hipóteses,é do que vive a Ciência. Que se negue e desvalorize a ciência é simplesmente  estúpido.

Extraterrestres

– Há mesmo extraterrestres? 
– Há, mas são verdes 
Estou nas Ilhas Virgens a começar mais um trabalhinho que , à semelhança dos últimos 5 , vai ser o último , desta vez é que é , mas não vou falar de barcos nem caraíbas nem indígenas que às vezes me fazem querer voltar 200 anos atrás no tempo, vou falar de um assunto muito mais importante e pertinente , que são os extraterrestres. 
Tenho um amigo que nas horas livres se dedica a explicar que o Grupo de Bilderberg vai acabar com a Corrente do Golfo e que o G20 planeia implantar chips individuais em toda a gente , que outros clubes de amigos parecidos causaram todas as guerras e fomes e pestes do mundo , entre outras coisas curiosas fundadas na crença de que meia dúzia , ou dúzia inteira de pessoas se junta para controlar o Mundo , e consegue ,  coisa que me dá sempre muita vontade de rir. Agora partilhou  esta notícia super fidedigna e bem redigida e fundamentada. Em resumo , os Russos dizem que se os EUA não contarem ao mundo a verdade sobre os extraterrestres eles próprios o farão.  Entre outras coisas ( e recomendo o link que inclusivamente relaciona a verdade com o filme “men in black”) afirmam que o presidente Eisenhower teve 3 reuniões  com extraterrestres. Há pessoas absolutamente convictas de que os famosos círculos nas culturas de cereais foram feitos por extraterrestres , tal como as pirâmides do Egipto e outras obras de engenharia civil. Os antigos Maias tinham contactos estreitos com extraterrestres , que lhes permitiram não só construir as suas pirâmides como descobrir que o Mundo acabava o ano passado. 
 Eu não sou daqueles que negam à partida uma ciência que desconhecem , não posso de maneira nenhuma afirmar que não há extraterrestres , até gostava que houvesse , quanto mais não seja para pôr o Homem no seu devido lugar cósmico e acabar de vez com montes de patranhas religiosas sobre a origem , ordem e criação do Universo. Dado o tamanho do mesmo Universo , pensar que só aqui , neste grão de areia , é que há vida inteligente , é um bocado redutor e acho só pode ser defendido com argumentos religiosos. Por isso até gostava de acreditar em extraterrestres , mas preciso de ser convencido e estou muito longe disso. 
 Tal como se inventaram as religiões para explicar fenómenos que na altura eram inexplicáveis ( e aliviar o medo da morte e ordenar a sociedade) , hoje em dia um certo sector mais criativo usa os extraterrestres para explicar fenómenos que não compreende . Uma luz brilhante cruza o céu , certamente é um ovni. Uma marca estranha num campo , foram os gajos . Há uma percentagem boa de americanos que acredita que foi raptado por extraterrestres , que pelos vistos têm uma apetência por americanos quando se trata de raptos mas quando é para fazer os tais círculos nas colheitas já preferem a Inglaterra. Curiosamente , os fenómenos extraterrestres observados são-no principalmente nos EU e na Europa , concluo eu que no resto do mundo as pessoas têm mais que fazer e questões sérias com que se preocupar , ou que os extraterrestres só querem comunicar com Ocidentais.
 A minha questão fulcral nisto é parecida com a que tenho com a religião : se existe um deus ou deuses , porque é que não se mostra a todos , inequivocamente? Gostam de cultivar a incerteza , a confusão e a dúvida? Nunca recebi uma resposta satisfatória a isto , nem à questão parecida que é “ se existem extraterrestres , formas de vida inteligente capazes de viajar através de galáxias e comunicar com a espécie humana , porque é que não o fazem?  Pois , só comunicam com os “escolhidos”. Há muita gente convencida de que os governos têm provas claras e  irrefutáveis da existência de extraterrestres , mas faz parte da natureza dos governos esconder tudo dos cidadãos. Curiosamente os extraterrestres não só não se importam com isso como só comunicam com governos e nunca pensaram em mostrar-se aos humanos em geral, esta teoria defende portanto que os governos da Terra são mais poderosos que os extraterrestres , acho graça.
Sida , Iraque , 11 de Setembro , extraterrestres , bilderberg, skull and bones , goldman sachs , Judeus , Vaticano , Nestlé , Monsanto , talvez Maçonaria e Opus Dei ,  e agora não me lembro mais que ingredientes podemos meter nesta caldeirada conspiratória e paranóica que ocupa tanta gente que devia , e podia , dedicar o seu tempo e recursos a debruçar-se sobre coisas sérias.