Início » Uncategorized » Não há Boas Notícias

Não há Boas Notícias

A América num momento perigoso, talvez seja um cliché nas televisões nestes dias, eu não tenho dúvidas de que é perigoso. O racismo não aumentou mas está a ser mais  filmado e mais pessoas vêm e pensam no que se passa.  Mais pessoas estão a perceber o que é o racismo sistémico, aquele racismo que não é  umas pessoas não gostarem de outras por causa da cor, é  como a sociedade estabeleceu mecanismos que mantêm as minorias em desvantagem permanente. Não basta estar escrito na Constiuição que todos são iguais perante a lei se depois não há garantias e a prática mostra o contrário.

Pela milionésima vez a polícia americana foi deter um indivíduo e usou de uma brutalidade enorme que acabou por provocar a morte do homem depois de 9 minutos de agonia. Houve vídeo e estalou a revolta , primeiro em Minneapolis e depois foi alastrando. Há sempre a gota de água, e o copo de ocasiões destas está cheio , e está tudo  muito documentado. Quando pensamos em todos os incidentes semelhantes que não foram filmados ou se aceitou sem mais a versão da polícia, dá para parar e pensar.

Toda a raiva e frustação rebenta , juntam-se os delinquentes e criminosos que são legião em todos bairros pobres e degradados do mundo e a violência tem que alastrar. A polícia intervém, de uma maneira que merece destaque. No fim da primeira guerra do Golfo os EU ficaram com enormes reservas de material militar sem uso e decidiram que o melhor a fazer era distribuí-las pelas polícias, começando um processo real de militarização das polícias que segue ainda hoje e que faz com que uma cidadezeca qualquer tenha carros blindados e ponha na rua homens que parece que vão entrar em Falujah nos velhos tempos. Esta abundância de material junta-se a outra característica das polícias de todo o mundo, que é a relação natural com a violência, ao fim ao cabo são agentes de coerção. Toda a pessoa que vá para polícia tem no mínimo tolerância à violência e no máximo, gosto por ela. Não dou palpites sobre a proporção mas creio estar mais para o lado dos que não se importam e até gostam. Outro ingrediente  que se junta à mistura, a retórica do presidente, que sempre encorajou publicamente a aproximação dura e sempre mostrou mais simpatia pelos nacionalistas e supremacistas brancos do que pelos que lutam pelos direitos civis.

Ainda outro factor que sempre contribuiu para agravar o problema da violência policial nos EUA são os sindicatos de polícia, e a objecção é a mesma que se faz aos outros sindicatos: existem para proteger todos os membros, bons e maus, com o foco exclusivo e estreito no interesse dos seus membros, e protegem-nos sempre.

Haverá outros ingredientes que  não me ocorrem agora mas esta panela de pressão rebentou em Minneapolis e depois, como sempre, a violência gera mais violência. Mais de 400 cidades viram protestos , a grande maioria pacíficos, mas houve mais angústia com as pilhagens do que com o facto de se estar a ver a nação a revoltar-se  contra si própria e reprimir-se a si própria. Houve um pico de indignidade no dia em que  decidiram trazer unidades militares para DC e se juntou um grande protesto frente à Casa Branca. Estava declarado recolher obrigatório para as 7 e às seis e meia mandou-se limpar a praça, o que foi feito com cavalos, bastões, balas de borracha e gás lacrimogéneo. Era uma manifestação pacífica. Quiseram abrir alas para o presidente ir tirar uma foto com uma bíblia na mão frente a uma igreja. Ele não consegue citar um verso que seja da bíblia. Assim se brutalizam os cidadãos para uma foto de propaganda quase blasfema , o ultraje aumentou ainda mais por todo o país e no dia seguinte mais gente desafiou o recolher obrigatório. O general Mattis quebrou o voto de silêncio e publicou um artigo destruidor mas pior que isso foi o memorando  do Estado Maior da Forças Armadas. Em poucas palavras , sentiram a necessidade de lembrar o dever constitucional deles e o que são ordens e missões ilegais, depois do presidente ter passado o dia a falar em mandar avançar as tropas.

Sábado espera-se um milhão de pessoas em Washington, o país vai de certeza levantar-se outra vez em protestos e o Trump a ver cada vez mais as paredes a fechar-se, denunciado por todos os lados, a tombar nas sondagens, cada vez mais dependente do núcleo duro de fiéis, tudo isto tendo como pano de fundo uma pandemia , 40 milhões de desempregados , a imprensa histérica e as redes sociais a  acicatar, todos os dias, 24/7 .

O Trump só é homem para responder a isto ou com violência, partindo do princípio que ele está longe, ou com mentiras e obfuscação, ou com ambas, porque ele não tem as qualidade de liderança e de estadista para tempos destes. Nem as tinha para tempos calmos, quanto mais para isto. Faltam 5 meses para as eleições, muita água vai correr debaixo da ponte e muita loucura vai ainda acontecer.

Responder

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s