Início » Açores » Incubemos, então.

Incubemos, então.

Esta é a minha terra adoptiva , o concelho mais ocidental da Europa, esquecido no meio do Atlântico , mais longe de Lisboa do que Paris ou Londres e onde viviam à altura do último censo, 1500 pessoas. O concelho tem 5 freguesias pelo que a população permanente da vila  andará mais pelas 1000. A seguir ao Corvo é o concelho menos populoso de Portugal,e nesta foto vê-se a vila quase toda:

18425134_10208682135510813_4538420541231540541_n

Esta manhã fui surpreendido por uma notícia da Câmara Municipal, lançaram um concurso público para a construção de uma incubadora de empresas. Já tinha ouvido falar na intenção mas achava que, dada a nossa dimensão, mercado e potencial, esta incubadora seria instalada nalgum dos vários espaços municipais sub utilizados ou mesmo fechados e que seria uma coisa à nossa escala, mais focada em dar apoio técnico e administrativo a ideias e empreendedores, coisa que se faz com dois ou três gabinetes ligados à net e pouco mais.

Por momentos esqueci-me de que estava em Portugal  mas fui lembrado disso pelo projecto da incubadora, que é este:

18301558_1569554266410555_2687417037890448691_n

Numa ilha em processo de desertificação, com as acessibilidades e comunicações mais difíceis de todo o país (excepto o Corvo) , onde o Estado  é, de muito longe, o maior empregador e onde o sector com mais futuro é o turismo, onde não há muito que incubar, de onde os jovens têm que sair para se irem  formar e raramente voltam e onde há excesso de edifícios vazios e desaproveitados, vamos  pedir dinheiro emprestado para investir  centenas de milhar nesta obra e juntar à factura pública mais uns milhares em custos mensais fixos . Lembrem-se : temos 1500 pessoas no concelho, 3500 na ilha toda.

Quando há uns meses ouvi falar do projecto da incubadora fiz logo conta de ir falar com o presidente da câmara e dizer-lhe que estou muito interessado em que a  Ovelha Negra  possa ser incubada, entendendo por isso beneficiar de apoio técnico e administrativo para navegar os meandros das leis e regras e processos de legalização e licenciamento.Isto consegue-se com umas horas com um técnico num canto de um gabinete.  Nunca me passou pela cabeça que se estivesse a planear uma coisa desta dimensão ou que se achasse que isto era funcional e necessário.

Espero muito estar errado mas aposto com quem quiser que o investimento e custos permanentes desta incubadora vão superar em muito os rendimentos da soma das empresas que ela vai incubar. Olhando para isto por outra perspectiva,aproveita-se o crédito barato pago a perder de vista pelo que parece que não custa nada, dá-se trabalho a uma construtora, faz-se uma obra, sonho e motivação de todo o autarca, e criam-se três ou quatro postos de trabalho , equivalentes aos vários que do género que já temos por cá: pessoas que tomam conta de equipamentos sem uso.

Esta câmara, do PS, tem o meu voto principalmente porque sei que os outros não fariam diferente , mas com esta da incubadora desiludiu-me em grande. Espero estar a ser Velho do Restelo e que daqui por dois anos as Lajes fervilhem de actividade empresarial e que a incubadora esteja cheia de boas ideias a crescer. Também espero que o Sporting seja campeão europeu em 2019, as probabilidades  são semelhantes.

Anúncios

Responder

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s