Início » Política » Raquel Varela anotada

Raquel Varela anotada

No interesse de apresentar uma versão  diferente desta história da conferência do Jaime N.Pinto na Universidade Nova, publico aqui a reacção de Raquel Varela há pouco no facebook. Além das divergências que tenho com as opiniões e observações da senhora sempre achei que escrevia muito mal para uma historiadora doutorada, por isso tomei a liberdade de corrigir o texto . A interpretação fica ao leitor, além das correcções apenas sublinhei duas frases particularmente absurdas que gostaria muito de a ver explicar , a primeira pela bizarra noção histórica que revela, a segunda mais pelo lado filosófico. Aqui está:

A dimensão pública sobre o do que se passou na FCSH obriga-me de facto a tomar posição. E a minha posição clara é a defesa solidária do meu director, Francisco Caramelo, da calúnia e perseguição que está a sofrer numa luta política que não olha a meios para atingir fins. A Nova Portugalidade é uma organização fascista que escreveu à FCSH dizendo que estaria a ser ameaçada e que ia levar seguranças privados para a conferência de Jaime Nogueira Pinto. O director, Francisco Caramelo, tinha três opções: ou chamava a polícia – coisa que nenhum director ousa e bem fazer para dentro de uma Universidade; ou adiava a conferência esperando menos barulho – o que fez; ou deixava ter lugar uma batalha campal entre os estudantes de extrema esquerda e os de extrema direita acompanhados pela milícia privada PNR. Optou pela segunda. Daqui a dizer que censurou seja o que for é um passo intolerável – não é censura, é queima de bruxas medieval do bom nome de alguém.

A triste atitude de Vasco Lourenço da Associação 25 de Abril ou o oportunismo do CDS, a rapidez com que todos vieram comentar o que desconheciam fazendo aquilo que o líder desta – até há 5 dias – desta seita extremista aconselhou no seu facebook a fazer: “foi cancelada, enviem para todo o lado, vai ser bom para a Nova Portugalidade”. A armadilha a F. Caramelo e à FCSH era óbvia. Quem nesta página me conhece pessoalmente sabe que nunca pautei o meu percurso académico com por reverência ao poder hierárquico, seja de quem for. Também não sou de nenhum dos partidos da Associação de Estudantes. O que escrevo aqui escrevi escrevo com absoluta convicção de que o director da FCSH foi colocado numa armadilha, da qual a única forma de não sair queimado era ter deixado acontecer uma batalha campal, que o PNR tinha preparado de antemão. Sobre isto deveriam os estudantes de esquerda e democratas reflectir: só se grita avante quando se tem tropas. Tomaram uma posição moral de não se opor a que JNP falasse mas que a Nova Portugalidade fosse proibida de utilizar a Associação como veículo de auxílio à organização – fizeram bem, a Universidade pauta-se por dar consequência à proibição legal de organizações fascistas. Mas com a extrema-direita não chega uma luta moral, há que ter força social organizada. Ideias, boas ou más, leva-as o vento, organização colectiva é o que determina o rumo das sociedades.

Com a mesma indignação com que se disse alvo de censura e defensor dos valores democráticos o colega académico Jaime Nogueira Pinto deveria exigir que o PNR deixe de ameaçar fisicamente os estudantes de uma universidade, a FCSH – isso seria elevação democrática. No caminho deveria deixar claro que foi convidado pelo seu colega e nosso director a nova conferência, organizada pela direcção da FCSH e não por uma seita extremista. Nem tudo vale na arena política. Aguarda-se também uma palavra de Vasco Lourenço, com responsabilidades históricas e de tantos que sem ler ou saber apressaram-se a chafurdar na lama. É que se o caminho neste país é aproveitar todos os factos para promover a sua chafarica deixando na lama o nome não interessa de quem, vale tudo, porque os fins justificam os meios, então é caso para dizer que já estamos a viver…como direi…uma nova portugalidade.”

É interessante que acuse o grupo de estudantes de direita de ser uma organização fascista para logo a seguir lembrar a proibição legal de organizações fascistasSe  é  uma organização fascista porque é que ainda não foi denunciada às autoridades competentes ?Andam ali há mais de um ano a espalhar fascismo pela FCSH e só agora é que os vigilantes reparam? Tenho ideia de que existem certos requerimentos e condições para se declarar alguma coisa “fascista” mas há pessoas que não estão obrigadas a observar essas minudências e não vale a pena perguntar-lhe por email, vai para a secção “provocações fascistas”.

Também é perturbador saber que há  milícias em Lisboa , espero que a senhora leve depressa a informação à judiciária , acompanhada da respectiva queixa crime porque é muito grave.Também se pode dar o caso de a doutora não saber o que é uma milícia.Além da constatação de que cá não existe  extrema esquerda há o surpreendente pedido de explicações a Vasco Lourenço , que sendo chefe da Associação 25 de Abril fez o que faria  uma pessoa que defende a Liberdade : ofereceu o espaço para uma conferência política que tinha sido cancelada noutro local. Aos olhos da dra Varela isto é uma afronta histórica , e um gajo tem que se rir.

Anúncios

Responder

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s