Início » Livros » Livros

Livros

16299536_10154967959890477_3564012443690699157_n

Não  sou capaz de ler só um livro de cada vez , tenho sempre uns quantos à cabeceira porque não consigo adormecer sem ler mas nem sempre me apetece ler a mesma coisa. Um livro que nunca vou ler é o livro mais falado em Portugal nos últimos dias , o do Cavaco Silva. Calculo que a escrita do ex presidente seja tão emocionante e inspiradora como a sua personalidade , a rotina do Palácio de Belém não me interessa , o lugar que o Cavaco pensa que ocupa na história também não e não preciso de saber mais nada sobre o Sócrates.

Continuo a ler o Ensaio sobre a Lucidez , devagarinho e com perseverança . Gosto muito do pressuposto ( o que é que acontecia se a maioria da população de repente votasse em branco) e ninguém pode duvidar de que o Saramago é um mestre do vocabulário , agora a questão da pontuação é difícil , é preciso uma pessoa habituar-se por exemplo à tal falta de pontos de interrogação ,  à divisão das orações e ao modo como se usam maiúsculas e minúsculas , ou seja , é preciso esquecer por momentos alguma gramática que aprendemos na escola . Ainda não vou a meio e se não fosse pelo voto que fiz de ler pelo menos um livro desse autor este ano se calhar já tinha desistido.

Dantes tinha por regra terminar todos os livros que começava , abandonei-a quando percebi que há mais livros já publicados dentro dos meus interesses e por autores que admiro do que o que eu teria tempo suficiente para ler , pelo que deixei de insistir em leituras que não me dão prazer , a vida é muito curta para ler em esforço. Por isso abandonei a leitura de O Fim dos Segredos  , um livro sobre a Opus Dei e a Maçonaria. A Opus Dei  é uma seita católica que defende e pratica uma moral e uma visão social e religiosa que ficaria confortável em 1950 . Têm muito dinheiro , são muito organizados , trabalham para se expandir e têm práticas bizarras mas o que é certo é que ninguém é obrigado a juntar-se a eles , e  lavar  o cérebro às criancinhas não é crime nem ofensa , os filhos são deles e acredito que os pais devem poder escolher a educação que acham melhor para os filhos. Gostarem de mortificar a carne e acharem que trabalham para ser “santos” não prejudica ninguém , há pancadas muito piores.

Quanto  à Maçonaria , é um clube que serve para conhecermos amigos e nos ajudarmos mutuamente nas carreiras . Os rituais , fardetas , graus honorários e designações estapafúrdias têm um quê de ridículo , mas é verdade que são menos inofensivos que os da Opus porque um dos principais motores deste clube é a política e estou convencido de que a maioria adere porque espera impulsionar a sua carreira política. Uma  motivação como outra qualquer , a questão vem do secretismo e do modo como os “irmãos” se protegem uns aos outros. Se um deputado ou ministro se revela um canalha ou um incompetente , afastá-lo torna-se muito difícil se ele for “irmão” , e por aí fora.

Outro livro que comecei e abandonei este mês foi Terra Sangrenta , é uma história dos trabalhos dos Comunistas e Nazis nas décadas de 30 e 40 do século passado , na Polónia , Bielorrúsia e Ucrânia. Abandonei-o por  depressão , é de tal maneira trágico e horrível que me chegava a sentir fisicamente mal disposto , não deu para continuar. A História é o meu assunto preferido , tenho algumas luzes sobre o período que antecedeu a Segunda Guerra e sobre a própria mas ser assim confrontado com a história de massacres deliberados de milhões de pessoas , no caso do Estaline , cidadãos do próprio país, é brutal, ainda por cima  grande parte é contada na primeira pessoa , é de arrepiar . Viver num país onde um partido que arvora orgulhosamente a bandeira da foice e do martelo ,  tem voto nas políticas do governo e é perfeitamente capaz de defender o Estalinismo só aumentou a minha náusea , não fui capaz de acabar aquilo.

Esse livro foi-me emprestado por um amigo que ao mesmo tempo me emprestou A Obra ao Negro , de Marguerite  Yorcenar , um romance histórico passado na Europa do tempo da Reforma , quando os Países Baixos estavam sob domínio Espanhol e se queimavam pessoas por proporem sistemas diferentes ou questionarem a “ciência” aprovada pelos teólogos . Acabei-o ontem , adorei , nunca me canso de ler sobre a longa , tortuosa e incompleta viagem do Homem para se libertar do obscurantismo e superstição e perceber o Mundo. Vou procurar mais livros dela ,  quando acabei este passei os olhos pelas minhas estantes e reparei que nem um em cem livros são escritos por mulheres. Não sei se é por haver menos mulheres a escrever sobre os temas que me interessam , não sei se é por ler pouca ficção , não sei se é alguma misoginia que aqui anda ou simples ignorância , mas é certo que  tinha que fazer um grande esforço para nomear uma mão cheia de escritoras de que gosto. Tenho que ver se resolvo isso antes que o Governo & apêndices , na sua cruzada pela paridade , legisle no sentido de obrigar as pessoas a terem bibliotecas em equilíbrio de género.

Outro livro que estou a ler é a Guerra das Gálias , História na primeira pessoa e o testemunho de um dos mais fascinantes e brilhantes personagens da História da Europa , Julio César . É muitíssimo interessante ver como na sua base e essência a política  e as operações militares pouco mudaram desde o ano 50AC , é espectacular acompanhar as evoluções e tácticas das Legiões e admirar o génio, verdadeiro génio de César , que liderava como poucos e que  fazia questão de conhecer os inimigos e o território a fundo . Tembém é interessante ver que ao contrário do que possamos acreditar sobre o primitivismo das tribos gaulesas , havia um sistema e organização social e política sofisticada … mas não tanto como em  Roma. Como estou convencido de que estamos em fim de ciclo e os tempos são propensos à queda de impérios , guerras com bárbaros e declínios de civilizações , leituras sobre Roma Antiga são muito instrutivas.

Não acredito que a História se repete mas acredito que há coisas que nunca mudam , quanto mais depressa soubermos e percebermos quais são, melhor para nós.

PS: esses links são todos da Wook, uma livraria online que só usei uma vez e não recomendo de maneira nenhuma , os livros estão todos disponíveis noutras lojas , os links são só  ilustrativos.

Anúncios

4 thoughts on “Livros

  1. Só um à parte quando refere “é preciso uma pessoa habituar-se por exemplo à tal falta de pontos de interrogação ,..:” eu aqui no blogue também me tive que habituar ao espaço entre a palavra e vírgula que é também uma coisa difícil de se ler 🙂 Não leve a mal, é mesmo algo que me tive que habituar ao ler este blogue e tenho que muitas vezes repetir a leitura. Assim como a de Saramago que por sinal, não consigo, se calhar um dia também vou ter que me esforçar para o ler para poder opinar.

    Liked by 1 person

  2. Pois, “Terra Sangrenta” é, de facto, muito difícil. Também não o consegui acabar pelas mesmas razões. É uma lista interminável de misérias e atrocidades. Muito azar de quem nasceu e cresceu nessa zona no início do século. Apanhar com esses dois sanguinários…

    Gosto muito da Marguerite Yourcenar. Não escreveu muitos livros, mas já que andas pelo Império Romano, tenta encontrar “Memórias de Adriano” – é um livro mais filosófico e introspectivo do que A Obra (que eu gosto muito mais, acho brutal)

    Abraço,
    Gonçalo

    Gostar

Responder

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s