Está um Outono incrível , dias lindos e amenos , quase não choveu este mês. Ontem de manhã encontre isto ao pé da porta :

15094471_10154701050950477_8543319610349219035_n

Não foi bem uma surpresa , já há semanas que esperava que esta ovelha parisse mas mesmo assim é sempre um dia especial, porque os cordeiros são das coisas mais engraçadas que se pode encontrar , ainda por cima gémeos e ainda por cima pretos  , mesmo que as outras  não criem este ano já fico contente.

No ano passado um amigo  ofereceu-me uma terra no lado Oeste da ilha , seriam quase cinco alqueires mas bem inclinados e cheios de mato , incensos e  pedra. Nunca mais lá ia voltar , não tinha nada que fazer àquilo , o valor da terra é pouco ( na matriz das finanças são 7,5€) , ofereceu-ma. Fomos lá , encontrámos a terra e e deixei-a bem para trás na minha lista de projectos e ocupações , o que se pode tirar de lá é lenha , toneladas de lenha , de que não só agora não preciso como também não vai ser nada fácil tirar de lá porque o acesso é difícil.

Na semana passada estava a conversar com um amigo sobre o assunto mais comum  : “o que é se pode fazer para ganhar dinheiro aqui”, e ele lembrou-se do maracujá . É uma planta que se dá muito bem aqui , não exige estufas nem tratamentos químicos nem grande manutenção , rende quantidades importantes e há um mercado grande para o fruto. O meu amigo não tem nada a não ser a força dos braços e o conhecimento do trabalho do campo , propus-lhe  em troca do trabalho  dar-lhe metade de tudo o que  saísse da quinta, em termos de exploração do proletariado pelos detentores dos meios de produção achei que não estava mal  . Passámos lá uma manhã a limpar mato até que o cão levou uma catanada no focinho por andar sempre a correr aos nossos pés , tivemos que vir embora  para lhe limpar a ferida. O cão é rijo , o corte não era fundo e quando chegámos ao carro já estava o sangue coagulado. Cheguei a casa , limpei-lhe a ferida , pus-lhe uma camada de terramicina , o spray universal para desinfectar feridas à bicharada , e assim ficou. “Não o levaste ao veterinário??” Não , por uma coisa dessas não , e fiquei a pensar que em Lisboa um veterinário teria feito o que eu fiz , mas com luvas e numa mesa , e depois tinha ainda receitado uma droga qualquer ao cão e devia sair a coisa por uns 50€ .

Entretanto decidi não trabalhar lá mais até ter as extremas do terreno bem definidas, e passei uns tempos a tentar encontrar uma pessoa que conhece aquela zona e sabe de quem eram as terras. Fomos lá ontem , e para minha surpresa segundo o homem as terras que eu pensava serem as minhas não eram , são dele , e que ele soubesse o meu amigo não tinha nenhuma terra naquele sítio.Vendia-mas de boa vontade , mas eram dele. Fiquei satisfeito por não ter passado mais tempo a gastar gasolina , ferramentas e suor a limpar a terra de outra pessoa e amanhã regresso lá , com o meu amigo  e com a matriz das finanças , que tem os nomes dos quatro proprietários que confrontam com ela , e há-de encontrar-se a terra , que sem dúvida existe e agora é legalmente minha mas pelos vistos não era aquela . Ficou suspenso o projecto do maracujá até saber afinal que terra é , de que tamanho e onde.

Um vídeo do meu Rofe na vida de cão aqui leva

Anúncios

One thought on “

Responder

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s