Início » Barcos » Até sempre, NZ!

Até sempre, NZ!

Dada a diferença horária , os leitores portugueses que não são aves nocturnas vão ler isto quando já tivermos zarpado . São 1100 milhas para as Fiji , com a carga de gasóleo que levamos e o tempo que se espera devemos chegar em cerca  de 8 dias .

Ontem acordámos às 5 da manhã para fazer o caminho para Whangarei , que afinal eram mais de 50kms , e às 6 e meia estávamos no hotel prontos para ver a final. Perto da hora do jogo chegaram 3 franceses , que já tinham visto lá os outros jogos da França. Quando começaram a falar dos portugueses tive que me anunciar como Português , mas deixei-os sem saberem  que falo francês, coisa que faço frequentemente e que me permite ouvir muitas coisas que não são destinadas aos meus ouvidos.

Portugal , onde é isso? – atira-me um com um sorriso alarve , eu só lhe disse que assim começávamos  bem , e  fiquei  contente por ver  que ainda consigo fazer  cara de gajo muito mau que até te rói os ossos  ,  passou os seguintes cinco minutos a explicar-me que estava  a brincar e não me queria ofender.

O jogo , toda a gente viu o jogo. A entrada asquerosa e planeada sobre o nosso Capitão , as lágrimas do homem , a equipa a aguentar-se coesa e calma , defender , defender , defender , não falhar. Quando os franceses atrás de mim começaram a queixar-se em termos inaceitáveis de que só defendíamos tive então que lhes dizer no meu melhor francês que depois de passarem uma semana a menosprezar-nos , a afirmarem que eram superiores de longe e que eram favas contadas não se deviam admirar por nós estarmos a fazer o possível por resistir , encostados atrás por tanta superioridade.  Acabou a conversa .

 O  Rui Patrício , seguro como o conhecemos e amamos todo o ano. O Quaresma a agarrar o outro pelo pescoço. O Pepe, mais pequeno que o mais pequeno dos franceses e pelo qual não passa nada, nervo puro. Defender , defender , defender. Vejo que sai o Renato, exulto, vejo que entra o Éder, cai-me o coração. O Éder há bem pouco tempo foi comparado numa piada com um cone de trânsito e o cone valia mais . O Éder , ao qual nunca vi fazer nada de jeito. O Éder que foi convocado porque não havia outro ponta de lança. O Éder que recebe , finta , ajeita , estoira e marca um golo que vai ficar na história da bola nacional , tal como o nome “Éder”. O Ronaldo no banco , um espectáculo à parte. A ansiedade horrível de quem já viu tantas vezes as coisas correrem  mal nos  últimos minutos. Ninguém vacilou, Portugal Campeão da Europa em casa dos franceses , só podia ter sido mais bonito se lhes tivéssemos dado 2 ou 3 . Os franceses atrás de mim que me apertaram a mão e saíram caladinhos. O tempo passado a rir-me sozinho pela net , a ver o país a explodir , a alegria enorme de todos os meus amigos , todos os meus patrícios, as felicitações de amigos de todo o mundo a chegarem . O vídeo do miúdo português a consolar o francês que chora , uma coisa linda de se ver, daquelas que faz retomar um pouco de esperança na humanidade.

Portugal tem uma vida difícil , é mal governado  , continua pobre e desorganizado , os seus filhos continuam a ter que ir ganhar a vida pelo Mundo , a corrupção e a  falta de educação minam-nos o futuro , sofremos humilhações que são mais ou menos aparentes consoante as coisas a que prestamos mais ou menos atenção. Vivemos de glórias passadas e largamente  romantizadas e ganhar uma competição desportiva não nos adianta nem atrasa mas…. Ao menos uniu-nos por breves momentos numa felicidade colectiva e partilhada que poucas nações têm o luxo de conhecer. Pode ter sido breve , não nos resolveu nenhum problema mas foi uma coisa linda porque o mundo inteiro viu Portugal vencer contra grandes probabilidades .

Despeço-me da Nova Zelândia, país com metade dos habitantes de Portugal e sem recursos naturais que me fez sonhar com o que nós podíamos ser , mas vamos tarde porque já trazemos muitos séculos de bagagem  pesada e não há milagres nem curas nem revoluções  que nos levem lá.

Adorei a paisagem , os vulcões , as pessoas , as infraestruturas , a História , os preços , as regras , as livrarias em cada vilória , os estudantes de uniforme , a cultura marítima elevadíssima , a pronúncia , a limpeza, os animais , os horários , a polícia , a paz , a modernidade, a tecnologia de ponta , o orgulho nacional , a simpatia , o espírito de iniciativa e independência .

Desejo tudo de bom à Nova Zelândia , levo este país no coração como não me lembro de outro e se algum dia puder viajar em  turismo a minha primeira opção vai ser voltar aqui.

Vamos levar uma semana redonda para as Fiji , barco impecável no qual não falta nada e uma tripulação fortíssima, não vai haver novidade.

Anúncios

One thought on “Até sempre, NZ!

  1. Primeiro capítulos excelentes, adorei isto; a paisagem , os vulcões , as pessoas , as infraestruturas , a História , os preços , as regras , as livrarias em cada vilória , os estudantes de uniforme , a cultura marítima elevadíssima , a pronúncia , a limpeza, os animais , os horários , a polícia , a paz , a modernidade, a tecnologia de ponta , o orgulho nacional , a simpatia , o espírito de iniciativa e independência, bons ventos e gasoil, abraço

    Gostar

Responder

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s