Cumprindo uma velha tradição ,a data de entrega do próximo barco foi adiada . Era para ser amanhã mas agora aponta-se para dia 24 , sujeito a confirmação, e por isso ainda não tratei das viagens . Ando a procrastinar na questão do eventual terceiro tripulante , já tenho um e ando a avaliar ( tarefa difícil sem nunca ter visto o moço nem o conhecer de lado nenhum , mesmo que  o CV e a atitude me dêem  uma ideia razoável ) se pode correr tão bem só com dois como correu a última ou se devo trazer um terceiro. Contas.

De resto , mais devagar que isto só parado. Decidi poupar a vida ao galo ,  parece que as galinhas apreciam a companhia de um galo e põem mais ovos , que até são melhores , fiquei convencido até porque gosto de ouvir o galo a cantar. A horta e o jardim , ou as suas aproximações  , estão mondados , já fiz sopa com as couves , estava espectacular , como de resto tudo o que eu cozinho . Todas as cinco coisas que eu cozinho sempre da mesma maneira.

Ofereceram ao meu vizinho um gavião , também conhecido como águia de Harris , ele não queria , hesitou mas perante a alternativa , que era o pássaro morrer , ficou com ele. As aves de rapina são uma das suas muitas paixões e foi uma tese de mestrado sobre aves que o trouxe ás Flores pela primeira vez há uns 30 anos.Já teve várias aves , sabendo bem o trabalho que dão não estava a pensar em voltar a ter mas não resistiu e agora todos os dias há alguma coisa a fazer com o pássaro.

DSCF0125Está na fase de aprender a caçar , isto alcança-se com pombos e melros que se põem ao alcance dele , fazendo um bocado de batota em desfavor das presas. Já aqui tinha falado de falcoaria , andar aí a passear com aves de rapina , seja a pô-las a caçar coelhos ou a treinar com pombos ou simplesmente a fazer voar é das melhores maneiras que há de passar uma tarde de Primavera .

Também tenho estado ocupado a pensar na distância que vai da personalidade de uma pessoa à sua totalidade , até que ponto é que a pessoa que somos difere do ser que somos , e se é que  os dois se podem eventualmente encontrar .  Isto é uma questão mais complicada do que possa parecer à primeira vista . Por falar em ideias e noções , aproveito para recomendar um livro chamado “A mais bela história da felicidade”, são três entrevistas , com um filósofo, um crente e uma historiadora , sobre a ideia de felicidade. O filósofo elabora especialmente sobre os Estóicos , escola que aprecio particularmente desde que percebi a importância  de não valorizar muito o que está fora do meu alcance ou não depende de mim. O crente não tem nada de novo nem interessante para dizer , a sua felicidade vem de acreditar que vai ser feliz depois de morto e a historiadora fala sobre a evolução histórica da noção de felicidade .Recomendo o livro principalmente porque custa 3€ e só  a parte do filósofo vale bem a despesa. Já agora recomendo outro  que li logo a seguir  : Zen e a Arte de Manutenção das Motocicletas. É um clássico , um título que eu conhecia há muitos anos mas nunca tinha lido nem esperava uma coisa tão tremenda , uma pessoa que goste de filosofia acaba aquilo com a cabeça um bocado rebentada .  “A descrição de uma viagem em pleno Verão pelos Estados Unidos ao volante de uma motorizada conduzida por um pai e o seu filho revela-se uma odisseia filosófica sobre questões fundamentais sobre a forma como vivemos. Este é o mote para uma jornada que teve lugar há vinte e cinco anos e que desde então tem surpreendido leitores em todo o mundo. Agora, numa edição revista e ampliada, Robert Pirsig aborda o processo reconciliador da ciência, religião e humanismo, apresentando um verdadeiro livro sobre a vida e a nossa existência, suportado por uma boa técnica narrativa e uma dose certa de sentido de humor. Uma leitura inspiradora e intemporal que se apresenta como um manual de vida, de estudo e de divertimento levando o leitor por uma viagem interior pelos grandes temas civilizacionais do presente. ”  

Anúncios

2 thoughts on “

  1. Então recomendo-te que leias A Obra ao Negro, da Marguerite Yourcenar. O enredo passa-se na Europa, séc. XVI, e conta a história de um indivíduo, a propósito, chamado Zenão. E depois é um livro brutal de História.

    Liked by 1 person

Responder

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s