Início » Islamismo » Sentido de Humor…

Sentido de Humor…

….é coisa que nenhum extremista alguma vez teve , mas  como em tudo , há uns piores que outros. Não há memória de algum membro da opus dei ter atacado um jornalista ou escritor das dezenas que expõem e gozam com o Cristianismo , não me lembro de  ver um ateu radical  a atacar mesquitas ,  igrejas ou crentes , corrijam-me se estou errado mas tenho ideia de que só aos árabes é que quando salta a tampa , salta a tiro e à bomba.

A maior parte dos muçulmanos são pacíficos a maior parte do tempo , o diabo é o resto do tempo e a parte pequena , e estes anos de políticas “integracionistas”  não resultaram lá muito bem , pelo menos para os Europeus. Seja o que for que a Europa faça vai ser sempre odiada pela franja ortodoxa dos muçulmanos , quando eles se passam e atacam a polícia  ainda é como o outro , há um elemento de confronto da autoridade e do sistema , de desafio ….Agora quando um jornal satírico de Paris publica uma piada e dois homens entram aos tiros na redacção e matam 12 , doze pessoas ,  a dizer que estão a vingar o profeta … se calhar era melhor re-pensar as estratégias de integração e interacção e talvez  até o código penal . Ou se calhar é mesmo assim , não há nada diferente a fazer a não ser continuar a acolher , integrar , subsidiar e tolerar todas as especificidades , desde as 6 mulheres até à comida halal , baixar as orelhas e ter cuidadinho com as caricaturas e os editoriais .

Repete-se que o Islão é uma religião de Bem , que podemos coexistir pacificamente na Europa . Não vejo  isso a acontecer nem imagino bem como , olhando para como as coisas estão , para as tendências económicas e demográficas e para o nível cultural dos milhões de árabes a viver ou desertinhos por viver na Europa . Aqui há uns 10 anos , quando se começou a falar na “Eurabia”  , eu até achava que era possível um certo grau de harmonia e paz , hoje sinceramente acho que não e estou bastante contente por viver numa ilha em que a comunidade islâmica compreende exactamente zero elementos e os mais próximos estão a uns 500 quilómetros… noutra ilha.

Não quero a companhia nem a proximidade de uma comunidade da qual a qualquer momento pode despontar um elemento que por não gostar das minhas crenças , ideias ou sentido de humor  ,  me dá um tiro ou mete uma bomba em casa . É só isto.

Anúncios

10 thoughts on “Sentido de Humor…

  1. Olha, os padres não excomungam ninguém agora, nas cidades grandes, porque nas pequenas continuam eventualmente a excomungar. E não preciso de te lembrar da idade média, pois não? O meu objetivo é só um, dizer-te nós não somos assim tão diferentes uns dos outros… Os ocidentais e cristãos apenas têm mais anos de consequências nas costas… Uma coisa que precisa ser dita é o que os católicos fazem por esse mundo fora, até hoje, por razões humanitárias. É só nisso que, até ver, somos diferentes… Bjo, bom ano 🙂

    Gostar

    • Os padres continuam e deviam continuar a excomungar , mesmo nas grandes cidades, porque é a maneira de expressarem a sua repulsa , rejeição e condenação ao banimento daquele que ofendeu a fé .
      A mim podem-me excomungar à vontade , a excomunhão católica implica apenas o que o próprio nome indica : a exclusão de alguém da comunidade , no caso deles, da Igreja . Esta exclusão não implica cortar cabeças nem outras formas de exclusão da Terra e não apenas da comunidade , como às vezes justificam e pedem as fatwas . Aqui por alegada blasfémia impediu-se um escritor de ir a um concurso. Do lado deles pôs-se a cabeça do alegado blasfemo a prémio , para viver com guardas e a olhar por cima do ombro a vida toda. Não há nenhum país de maioria islâmica onde possas falar e rir-te e comentar e criticar à vontade. Nem falo de te poderes pintar e mostrar o corpo como te apetecer e saíres com quem quiseres , falo de puderes dizer o que pensas onde queres , mesmo que seja uma piada , mesmo que seja uma piada de mau gosto , sem arriscares a que te matem por isso.
      Não somos nada diferentes enquanto indivíduos e Humanos , somos muito diferentes como sociedade e cultura .

      Gostar

    • opá sério, por isso é que eu n moro lá nem visito países onde me tratem como um ser menor, o meu guito n o vêem eles. Mas na casa deles mandam eles, é simples assim, como tu n admitirias que te obrigassem a ser católico na tua casa em roma ou islâmico no Irão, ou judeu em Israel ou lá o que é. quem é responsavel pelos ataques sao aqueles homens, nao o islão. peloamordedeus…

      Gostar

  2. Já existem boas e suficientes Leis para lidar com esses trastes. As Leis comuns de homicidio, crimes de ódio e terrorismo sobram.

    Temos de ter cuidado para não deixar que eles ganhem. O que eles querem (além de atenção!) é que sejamos menos liberais, mais sectários, etc. Querem que entremos no jogo deles, e que, em ultima análise, nos tornemos como eles. Eles não são contra os religiosos cristãos ou até judeus, são contra o liberalismo (neste caso dos costumes e religioso).

    De resto não creio que haja nenhuma solução final, através de leis gerais do Estado, para isto. São franceses a atacar franceses em França… que Lei se poderia fazer? A unica coisa a fazer é continuar a vigiar estes grupos…e isso em si já é alarmante, porque na pratica isso significa instaurar policias que vigiam os costumes, etc.

    O mundo não parece estar a ir em direção a nada de bom…

    Gostar

    • Concordo plenamente, a únicas alterações que eu acho possível era muito mais rigor no “acompanhamento” de toda a gente com ligações aos extremismo. A polícia francesa seguia e vigiava mais de mil franceses que tinham ido ao Iraque e à Síria. Não foram a banho , e por mim bastava isso para os fechar , e talvez deitar fora a chave. Seria um bocado radical mas acho que era o que devia ser feito : mostras tendências , contactos e simpatias extremistas ? Vais 30 anos dentro e pronto.

      Gostar

  3. Infelizmente não é assim tão simples. Eu gostava muito de ir fazer um curso de permacultura à Jordania lá num sitio em há um “sitio de demonstração”, e aproveitava ia a Petra e visitar jerusalém…Isso só por (ir à Jordania) já me colocaria “sob vigilância”. Imagina que, por aar, lá no curso contactava com um gajo islamita qualquer, sem eu saber, um gajo aparentemente normal, simpático, até ia a casa dele almoçar ou algo do genero… só com interesse em agricultura…mas…de repente podia estar numa lista negra com consequencias imponderáveis, que podiam culminar com “30 anos dentro”…

    As leis do Estado são feitas (deviam ser) de forma geral e abstracta, e não com alvos especificos em vista. Mas na pratica acabam por ser usadas para meter inimigos na cadeia. So que os inimigos são subjectivos e variaveis, e, de repente, tu podes ir dentro sem saber por quê…

    Sinceramente acho que não há solução para nada disto. Mais facilmente há para o clima do que para isto.

    Estava-me a lembrar de Columbine, e outros atentados do genero nas escolas dos EUA, assim como os crimes racistas etc… Desencadearam “só” um pouco mais de medo e paranóia geral. Mas isto é capa de estar a ser um procesos de choque civiliacional! É assustador. Os muçulmanos não radicais vão ser (já estão a ser) os primeiros a pagar o alto preço…

    Gostar

  4. Pois são , e os árabes franceses por estes dias colam-se às paredes e eu tenho sincera pena da sorte deles , gente que leva vidas com tanto medo como os alvos dos extremistas.
    Essas medidas draconianas que eu refiro são mesmo isso , mas tenho para mim que estamos mesmo num estado de guerra e justificam-se. Também defendo que o teu caso de ir à Jordânia tinha que ser tratado diferente , e porquê? Porque não és muçulmano nem nunca mostraste ( como hoje se consegue provar) contactos nem tendências violentas ou extremistas. É uma dor defender que se deve deixar o que nunca no fundo foi verdade , as leis serem iguais para todos , mas não acredito que as nossas armas para lutar contra a ameaça sejam suficientes. É possível que nada do que eu digo faça sentido, ando agoniado com isto e já nem estou convencido das minhas próprias teorias .

    Gostar

  5. Um artigo e entrevista que, no meu entender ajudam a pensar isto bem. Ou seja, a não generaliar, e manter-se diferente, em vez de reagir a ódio com ódio, e entrar no jogo,e evitar guerras civiliacionais (na realidade dentro do monoteísmo ocidental), porque uma guerra entre 1,5 bilião de muçulmanos e outro tanto de cristãos não é desejável.

    Sobre o poder negativo de generaliaçoes: https://www.facebook.com/video.php?v=10152410206006167&fref=nf

    MEC:http://www.publico.pt/mundo/noticia/a-vinganca-certa-1681616

    Acho que foi o Orwell que disse: quem troca a liberdade pela segurança acaba por perder os dois.

    Gostar

Responder

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s